Touch - Primeiras impressões



Fala galera!

Eu preciso compartilhar com o mundo essa série!
Touch é uma das melhores surpresas que a Netflix me trouxe, estava eu certo dia sapeando a procura de coisas novas, quando de repente me deparo com essa preciosidade no catálogo. A série não me era nova, eu a conheci há cerca de três anos e havia me apaixonado, mas como eu nunca conseguia acompanhar na TV, devido o horário que passava e também porque eu não encontrava para assistir nas internets da vida eu já tinha desistido. 

Enfim... O ponto importante é esse, eu encontrei a série e pirei completamente!

SINOPSE: Martin Bohm (Kiefer Sutherland) é um ex-jornalista que, após o falecimento da esposa nas Torres Gêmeas em 11 de setembro, passa a exercer uma série de trabalhos diferentes tentando dar um novo sentido à própria vida. Isso inclui tomar conta do filho, Jake (David Mazouz), de 10 anos, que desde que nasceu foi diagnosticado com autismo. Mas Martin começa a acreditar que Jake é mais do que os olhos podem ver. Usando uma série de números em padrão, o garoto leva o pai a fazer descobertas e, assim, começa a traçar um certo equilíbrio entre vários acontecimentos ao redor do mundo. Martin passa então a investigar para descobrir qual é o grande propósito do filho, e os motivos de ele estar no mundo. (Adoro Cinema)
A série como mencionado na sinopse gira em torno do pai Martin e seu filho Jake, o que é mais interessante e creio que dá nome a série, é o fato de Jake não permitir jamais ser tocado e não pronunciar nenhuma palavra. O garoto se comunica com o pai apenas por números. Martin segue as coordenadas numéricas a fim de fazer "o que precisa ser feito", mesmo é claro que ele geralmente não faça a mínima ideia do que é, esse pai vai as cegas a todo lugar e pouco a pouco, sua simples presença altera a ordem dos acontecimentos dando ao universo um melhor equilíbrio. 

A série é maravilhosa, as cenas são incríveis, te deixam sem fôlego e você fica até mesmo apreensivo em alguns momentos, o garoto apesar de seu silêncio altera as coisas de tal forma que sua interferência ultrapassa todo o mundo, contando com cenas em outros países e tudo, absolutamente tudo está interligado como ele menciona já nos primeiros minutos, há uma lenda que diz que todas as pessoas que necessitam se cruzar possuem um fio vermelho amarrado nos tornozelos, esse fio jamais se rompe, mesmo que muitas vezes se enrosque. 

Em resumo a missão de Jake é desenrolar o fio e a de seu pai é de ser o executor, ele se utiliza dos mapas do filho para dar ordem ao universo.

Sério gente, essa série dá um boooom na cabeça, você vê as coisas e pensa que nada faz muito sentido, mas tudo está ligado, todos os personagens, todos os acontecimentos tem motivo e os finais de episódio deixam a gente com aquela cara pasma de quem quase nem notou as coisas chegarem ali.

Vale a pena galera! Assistam e comentem o que acharam! 

Fiquem com o trailer pra sentir um pouquinho como é. 






Lila Martins

2 comentários:

  1. Oi, que Review autêntico. Eu nunca tinha ouvido falar na série, mas me interessei. Eu tenho uma queda para séries com garotinhos especiais, vide Scorpion.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A série é bem interessante, super recomendo! Scorpion eu não conheço ainda, mas dizem que é bacana, tentarei um dia desses!

      Excluir

Deixe seu comentário, ele é importante para o nosso feedback, sugestões sempre serão muito bem vindas, mas por gentileza, não deixe comentários maldosos ou grosseiros, criamos nosso conteúdo com carinho, respeite nosso trabalho.